A Mudança Necessária

 

 

Ao longo do curso de minhas muitas discussões, notei que muitas pessoas bem intencionadas se comprometem em campos muito específicos com o propósito de lutar por um mundo melhor, escolhendo uma causa particular, ideologia, religião ou movimento, que estão frequentemente comprometidas em uma batalha com um adversário para a qual atribuíram todas as desgraças da sociedade.

 

É claro que há sentido em devotar a vida de alguém à religião, mas é necessário que este sentido esteja de acordo com a realidade de hoje. É verdade que pode ser útil definir os verdadeiros poderes deste mundo e determinar os seus papéis, mas sem esquecer que toda civilização tem um fim; o seu declínio acontecerá inevitavelmente, em todo caso. Sim, nós podemos defender causas animais, mas é mais que possível que todos nós sejamos vegetarianos um dia. E sim, é um fato que nós temos que investir em assuntos ambientais, mas os fatos nos mostram que o nuclear já difundiu e é uma coisa do passado e que nós estamos avançando em direção ao solar.

 

Longe de mim a idéia de repudiar todas estas boas causas, e poderia até mesmo nomear muitas mais, mas de minha parte, tento discernir o compromisso que poderia ser considerado o mais essencial fazendo a mim mesmo a seguinte pergunta: há uma causa em cuja existência todo ser humano poderia ser movido a se unir? Um desafio que teria o potencial para comprometer a humanidade como um todo?

 

Para responder a esta pergunta, seria necessário definir o principal perigo à humanidade em sua totalidade e determinar o fator comum que une todos os principais problemas que nosso mundo está experimentando hoje. A pergunta pode parecer difícil, mas a resposta, sem dúvida, é mais ou menos assim: o perigo comum para as espécies humanas inteiras é a mente individualista.

 

O desafio principal das espécies humanas é portanto este: como podemos nos livrar da mente individualista? Podemos por em questão todas nossas idéias de "pertencer", diferente de nosso pertencer às espécies humanas?

 

É de vital importância que venhamos a, ou retornemos à idéia principal de que a raça humana inteira deve ser protegida, e nos darmos conta de que para alcançar este fim, temos que nos livrar de nossa mente egoísta e de nosso comportamento competitivo.

 

Nós temos que nos dar conta de qualquer forma de nacionalismo e tribalismo porque isto só reforça o senso individualista. Nós também precisamos desintoxicar nossa mentalidade materialista que é predominante em todos os lugares no mundo de hoje. Temos que revisar nossos sistemas educacionais, onde mais que qualquer coisa, a competição que está sendo ensinada, reforçando a desigualdade, comprometendo as gerações futuras, ou "as pessoas de amanhã", como eu gosto de chamar isto.

 

É este grande desafio que nós enfrentamos, que pode ser conduzido a níveis locais, nacionais e globais, que nós temos que nos comprometer também, e assegurar que nossos esforços tenham a maior utilidade. Está no modo em como tratamos o individualismo, em suas múltiplas formas, que a mudança real virá. Quaisquer outras mudanças serão temporárias, sem nenhuma forma real de evolução.