JANEIRO 2014

 

 

Marija Peleda - Kaunas / Lituânia

 

Na medida em que sigo através da minha busca espiritual, encontro todo tipo de pessoas com diferentes crenças e modos de ver a vida. Como posso reconhecer aqueles que estão mais próximos dos ideais espirituais certos?

 

Um ideal pode ter algum valor espiritual, mas nenhum ideal é espiritual por si só. O que nós pensamos ser um ideal, não é nada mais que uma expressão pessoal. Na medida em que contemplamos ou confiamos questões de uma natureza espiritual, é importante estar atento ao estado de consciência em que nos encontramos, sendo nossos próprios ou daqueles em que confiamos estas questões. Nós temos no que acreditamos ser respostas para nossos pensamentos pessoais, reflexões e sentimentos, embora elas possam parecer respostas perfeitas, elas têm o potencial de nos afastar para longe da realidade e reforçar a ilusão. É imperativo nunca esquecer-se que a realidade ultrapassa de longe o que é definido como certo ou errado, correto ou incorreto. A realidade até ultrapassa o que acreditamos existir ou não.

 


 

Stephen Sheridan - Belfast / Irlanda do Norte

 

A humanidade é toda igual?

 

É óbvio que todos os seres humanos são iguais. Nós viemos em diferentes formas e cores e falamos línguas diferentes, mas nenhuma dessas aparências têm importância. Quando não há nenhum senso de igualdade entre as pessoas, isto reflete a falta de senso de realidade. Fazendo qualquer distinção ou comparação entre um e outro é o básico para um conflito. Nós temos que ter em mente constantemente que, esta realidade mais atualizada é encontrada além de qualquer separação.

 


 

Nadia Kolobova - Magadan / Rússia

 

O que você acha que é o maior pecado?

 

O conceito de pecado está inerente no que consideramos mal. Então, qualquer resposta para esta pergunta pode apenas revelar uma opinião pessoal. A respeito da minha própria definição pessoal de bem e mal, eu diria que “bem” é qualquer coisa que diminua o sofrimento e “mal” é qualquer coisa que aumente isto. Em termos absolutos, “bem” é o que revela a realidade (ilumina) e mal é o que esconde isso (cobre isto).