JULHO 2011

 

 

Guilherme Batista - São Paulo / Brasil


A causa do racismo não seria o fato de muitas pessoas só conhecerem uma cultura e a ver como uma cultura superior, acima de todas as outras?


O motivo que você apresentou certamente pode ser uma das principais causas do racismo. A pessoa que apresenta comportamento racista geralmente não tem muita consciência do mundo. Ela está procurando por segurança em sua cultura e não está disposto a lidar com outras culturas de uma forma aberta e acessível. Seu conhecimento sobre culturas diferentes é geralmente muito limitado, devido ao fato dele não ser capaz de fazer uma interpretação mais profunda de tudo o que está distante de sua própria cultura. Como uma viajante eu tenho tido sorte de conhecer muitas pessoas de diferentes origens étnicas, que mostraram interesse sincero em minha formação cultural e, eu nunca encontrei nenhum indício de racismo nelas. A exploração de uma cultura diferente é sempre uma aventura enriquecedora para todos, especialmente quando você consegue romper os padrões puramente racionais e de protocolo e penetra na experiência emocional do valor destas culturas. Quanto mais fundo alguém penetra em uma cultura estrangeira, menos estrangeira ela se torna, o melhor compreende que determinada cultura significa segurança e sentido para muitas pessoas e, especialmente, o melhor vê como a nossa riqueza intelectual é dependente da extensão em que podemos nos aproximar de outras culturas com respeito e modéstia.

 


 

Natsumi Mizumoto - Yokohama / Japão


Quais textos sagrados você vê como a verdade?


Esta questão leva a duas outras questões: O que é considerado sagrado? E o que é a verdade? Eu serei breve sobre o primeiro: Nada é sagrado. Nada é profano. Com relação ao segundo eu defino a verdade como o reconhecimento do mistério. E o mistério não está oculto nas palavras, mas na própria realidade. Quanto mais poder nós concedemos ás palavras ou a um livro, sendo ele declarado sagrado ou não, mais fraca se torna a nossa experiência direta com o mistério. Em outras palavras, as características do sagrado que nós atribuímos aos textos enfraquecem e, geralmente, até mesmo substitui a autêntica experiência da verdade. As pessoas que pensam ter encontrado a verdade, não se preocupam em dialogar com os outros. Sua única motivação é encontrar confirmação ou impor sua suposta verdade.

 


 

Veerle Roche - Gent / Bélgica


Para você, o que deve ser mais importante na educação das crianças?


A educação deve ser fundamentada, tanto quanto possível, na bondade. Um ser humano é um ser sensível e emocional e tem uma bondade inata. Esta emotividade é a base da moral, mas como a emotividade pode facilmente deteriorar-se em uma atitude egocêntrica, ela deve ser aprimorada através da educação. Bondade, outro nome para o amor, deve sempre ser um elemento obrigatório em toda educação. Quem desenvolve a bondade também se preocupa com outras virtudes, como lealdade, honestidade, fidelidade e outras condutas que se baseiam no respeito pelos sentimentos dos outros. O resultado de tal educação não é uma garantia para a felicidade, mas vai sempre trazer mais harmonia e paz interior para a criança e para o mundo.

 


 

Antonio Borges - Caracas / Venezuela


A migração econômica não pode ser resolvida deixando que todas as pessoas pobres se mudem para áreas mais ricas. Quais as soluções você propõe?


A injustiça fundamental reside na própria economia mundial, que não permite que muitas pessoas tenham uma existência digna. O atual sistema econômico garante que a prosperidade de muitas nações só é possível desde que outras nações vivam no medo e na necessidade, assim elas são mais fáceis de explorar. Se você quer lutar contra a pobreza, você terá de contribuir para um novo conceito econômico no qual liberdade e justiça para todas as pessoas no mundo seja o conceito central. Concretamente isto significa que vamos ter que forçar as grandes multinacionais, através de poderes políticos, a redistribuir a renda mundial e os recursos em favor das populações mais pobres.