JULHO 2012

 

 

Khalid Echaara – Valença / Espanha


Há tantas opiniões diferentes relativas à liberdade. Eu me pergunto se o homem conhecerá a liberdade absoluta.

 

A forma que conhecemos a liberdade e nossa posição em relação a ela é limitada pelo tamanho de nossas projeções, nossa memória e condicionamento. O conceito em que nós colocamos a liberdade muda constantemente, por isso sua natureza incerta. Para ser livre, numa forma absoluta, devemos transcender a ideia de um conceito de liberdade. É impossível alcançar a liberdade enquanto formos prisioneiros do nosso conhecimento limitado. Seja lá o que façamos, o que é sabido realmente nunca alcançará o que é desconhecido. A liberdade absoluta só pode ser alcançada quando formos capazes de exceder o sabido e entrar na dimensão do desconhecido.

 


 

Gregg Domina – Atlanta / Geórgia


Por que existe sofrimento no mundo?

 

Esta pergunta leva aos seguintes questionamentos: Que significado podemos dar ao sofrimento, ao nosso próprio sofrimento e ao sofrimento do mundo? O sofrimento sempre tem uma razão, mas especialmente um significado, uma origem que está relacionada a certas ações, pensamentos e estilos de vida. O sofrimento nos força a superá-lo, e assim liberta-nos. Esta recaptura de nós mesmos é possível através de uma estrutura permanente no ciclo de vida em que nos encontramos. Com relação ao sofrimento dos outros, ele habilita-nos a colocar nossas preocupações pessoais em perspectiva. Quando estivermos mergulhados nos nossos próprios problemas e nos sentirmos tristes, nós só precisamos observar cuidadosamente o que acontece ao nosso redor  para colocar tudo em perspectiva.

 


 

Marie-Hélène Zomba – Toulouse / França


Em você eu vejo um treinador-Zen ideal? Qual é o seu posicionamento em relação a esta ideia?

 

Eu não sei o que um treinador Zen faz exatamente, mas eu tenho um entendimento sobre isso. Qualquer um que siga o meu trabalho sabe que eu não tento ensinar. Meus escritos, em meus livros e neste blog, são um incentivo ao questionamento de certas crenças nas quais as pessoas agarram-se. Com relação ao Zen, é minha crença que quanto mais nos identificamos com crenças aprendidas, mais nos distanciamos de nossa sabedoria interior. A estrada para o Zen é a estrada para a paz interior e assim mais uma maneira de libertação dos métodos e das teorias.

 


 

O Pastor de Sigmund – Viena / Áustria


Que significado você atribui à oração?

 

A oração é uma maneira de agir em harmonia com a inteligência suprema dentro de nós. Para invocar este poder harmonioso é importante saber que nunca estamos separados do Absoluto. A fim de compreender isto plenamente, nós devemos ser capazes de criar um vazio interior, livre da tensão evocada por crenças convencionais, livre da nossa visão dualística, livre dos nossos pensamentos discordantes e livre das nossas próprias obsessões. Só então poderemos chamar nossa essência espiritual, de modo que ela possa ser acordada e possa dar-nos a luz necessária.