JUNHO 2011

 

 

Zacciah Blackburn - Nova Iorque / EUA


Um místico também é um filósofo?


Misticismo não é nem uma filosofia nem uma doutrina, é uma forma de experimentar o mistério que não pode ser expresso em palavras. Entretanto, quando um místico busca por palavras para expressar o seu conhecimento ou descrever a sua filosofia, ele se torna um filósofo. Na realidade, um filósofo incomum que rejeita as leis da lógica para ser capaz de descrever algo que não pode ser colocado em palavras: que o universo é uma extensão do nosso corpo e que podemos experimentar todas as maravilhas do mundo em nós mesmos.

 


 

Fernanda Gil - Madri / Espanha


O que você considera como as principais causas de intolerância na nossa sociedade?


Pessoas muito ligadas a convicções. Elas costumam deixar seus pensamentos e ações serem levados completamente por suas crenças e convicções. Essas convicções são geralmente transferidas por pessoas diretamente do meio ou originadas de um grupo, pela comunidade, cultura e nação da qual fazem parte. Estas convicções têm uma carga emocional e, portanto, possui uma relação profunda e complicada com a auto-imagem. Para redirecionar o processo de intolerância, é necessário questionar nossas crenças e convicções e mostrar nossa vontade de ter mais empatia com os outros. Desta forma, nossas ações podem realmente contribuir para uma sociedade mais pacífica.

 


 

Eliza Dalian - Vancouver / Canadá


Em suas histórias "momentos claros" ocorrem com freqüência. O que torna estes momentos tão especiais?


Estes são momentos em que vivenciamos a realidade de uma maneira muito diferente. Momentos em que estamos em um estado de completa harmonia com a realidade. Então, nós experienciamos algo que rompe todos os nossos padrões habituais. Na vida diária não seriamos capazes de lidar com essa experiência tão abrangente e intensa, porque isso de fato significa liberdade total. O espírito não consegue lidar com uma visão tão esmagadora da realidade e encontrar algo para segurar. E assim nos encontramos novamente em nossa individualidade diária. No entanto, é uma individualidade que tem sido influenciada por este acontecimento, porque esses momentos claros revelam os buracos do nosso processo de personalidade. Após esses momentos, somos capazes de sentir mais ligação e empatia com todos os seres.

 


 

Charnita Arora - Nova Delhi / Índia


Eu tenho uma pergunta difícil, mas muito concreta para você. Somos realmente capazes de mudar o mundo?


Minha resposta é tão clara quanto a sua pergunta: Sim! O mundo é um fluxo de ações coletivas. As pessoas não são vítimas indefesas das suas circunstâncias. Na verdade, o que chamamos de "o mundo" tornou-se assim por ações humanas. As ações humanas criaram essas circunstâncias e, portanto, elas podem ser alteradas a qualquer momento por um esforço conjunto. Que isto sirva como uma poderosa inspiração para aqueles que querem não só explicar a realidade, como também mudá-la.