SETEMBRO 2010

 

 

Ans Mol – Amsterdã / Holanda


Você não tem receio de o ser humano seja capaz de causar enormes desastres naturais?


Eu tenho muita fé na natureza e, portanto eu não temo o que o futuro nos reserva. Mas a questão é, contudo, interessante para todos nós, porque nos faz compreender que o importante é saber até que ponto estamos dispostos a nos envolver em coisas que nós mesmos somos capazes de evitar.

 


 

Crislaine Sanguino – Franca / Brasil


Você acredita em visões e fenômenos misteriosos?


Eu sei que estas coisas acontecem. Além disso, um evento é misterioso apenas até nós sermos capazes de entendê-lo. Pessoalmente, eu não presto atenção a fenômenos impressionantes ou confusos que eu não tenha visto por mim mesmo. Outros fazem isto. Se isto os traz para mais perto da fonte universal, por que não? Desde que estes fenômenos não sejam inventados, fraudulentos e desde que eles não encorajem atitudes irreais cara a cara com a vida. A realidade é muito maior do que imaginamos. Eu vi e experimentei bastante coisas para dizer isto com certeza.

 


 

Marcin Schabowski – Katowice / Polônia


A receptividade é a mensagem principal de seu primeiro romance?


Receptividade é certamente uma das mensagens mais importantes, mas gostaria de acrescentar também a união, o ato de unir ou unificação ou mais bem expressamente a conexão, o ato de ligar ou conectar-se. Um amigo me disse recentemente: “Seu livro transpira união. A união conosco, com os outros e com o Universo. “A Lenda de um Nômade” e logo a seguir, “A Voz Lúcida” nos encoraja à procura de nosso destino ao ouvir nossa intuição, mas estes livros também mostram como criar nosso conceito de amor e compreensão para com o nosso próximo. Um assunto que preocupa mais e mais pessoas e o qual cada um de nós vai encarar.

 


 

Zuliem Diaz – Barcelona / Espanha


Você é o que se chama de um escritor místico?


Precisamos primeiramente definir o que é um escritor místico. Minhas histórias são tentativas modestas de fornecer respostas a questões existenciais a fim de melhor entender o mistério da vida. Mesmo que eu reivindique certo misticismo, seria um misticismo que poderia destacar o interesse para direcionar nossa atenção para o nosso mundo interior. Mas seria, sobretudo, um misticismo que todos pudessem entender e que nos encorajaria a abrir nossos corações.

 


 

Sanou Diack – Dacar / Senegal


Podemos vivenciar uma espiritualidade real através da religião?


Eu acredito que a religião pode fornecer ou clarificar um caminho espiritual, mesmo que, é óbvio que muitas religiões organizadas perderam o contato com sua fonte espiritual profunda e muitos dos sistemas hierárquicos são voltados para a busca do poder e controle. Eu não falo do curso de experiências espirituais que seus membros possam ter com a fonte divina. Estas pessoas estão bem conscientes de que a espiritualidade real só pode ser baseada nas experiências pessoais e que não há necessidade de um lugar especial ou um intermediário para manter contato com o divino.

 


 

William Testard – Montpellier / França


Qual é a diferença entre conhecimento e sabedoria?


A sabedoria não é a educação ou o conhecimento em si, mas sim representa o bom funcionamento da nossa mente para que ela não só saiba o lugar de tudo, mas que ela também saiba que forma todas as coisas podem tomar. A sabedoria oferece uma perspectiva mais ampla do que o conhecimento puramente intelectual e do raciocínio analítico. É mais uma maneira de perceber as coisas corretamente do que ser capaz de defini-las através de palavras e conceitos.

 


 

Tamara Hechavarria – Havana / Cuba


Qual sua opinião sobre o xamanismo?


Eu acho que algumas formas de xamanismo podem nos ajudar a ter um conhecimento mais profundo do comportamento humano. Os xamãs usam métodos poderosos para modificar o estado de consciência. Eles fazem isso de uma forma controlada e eles geralmente usam essas técnicas para curar e explorar outras dimensões da realidade. Estas técnicas antigas e universais têm sobrevivido dentro das culturas que escaparam da racionalidade condicionada da civilização moderna. A racionalidade geralmente incapaz de responder às palavras-chave em contraste com os rituais xamânicos que parecem brotar a inteligência mais perto da pura intuição.

 


 

James Mungin – Melbourne / Austrália


Você pode nos falar mais sobre seu segundo romance?


“A Voz Lúcida” é um livro que destaca as perguntas existenciais. Este romance transmite a ideia de que, para ter uma influência autêntica precisamos ir em busca do nosso verdadeiro potencial e explorar todas as possibilidades e conceber todas as formas de intercâmbio e de mudanças Este livro nos ajudará a integrarmo-nos ao tempo presente, ao desenvolver nossos talentos ocultos a fim de viver em harmonia conosco, com os outros, com a natureza e com a energia que anima o universo.